Bem vindo
Quem sou eu
Serviços oferecidos
Manejo Reprodutivo
Ciclo estral em cadelas
Inseminação artificial
Momento de inseminar
Citologia vaginal
Vaginoscopia
Progesterona
Colheita de sêmen
Sêmen-Espermograma
Sêmen refrigerado
Banco de sêmen
Gestação
Parto
Neonatologia
Cuidados com os filhotes
Doenças da reprodução
Cursos e palestras
Contato
 


A inseminação artificial é um processo pelo qual auxiliamos os cães que não conseguem fazer a monta natural a se reproduzir.

Os principais fatores que levam a escolha da inseminação artificial são:

  • Diferença de peso e tamanho
  • Agressividade
  • Falta de libido (interesse)
  • Conformação anatômica da raça
  • Opção de manejo reprodutivo
  • Distância geográfica

Na figuras abaixo estão ilustrados exemplos de raça braquicefálica (Boston Terrier) em que pode ser utilizada a inseminação artificial.



Cadela no cio e não aceita o macho. E agora?

 Vamos desmistificar um ponto importante na reprodução de cães que é a aceitação ou não da cadela pelo macho e vice-versa, no momento do acasalamento.

 A primeira questão é a tendência dos proprietários em dizer que sabem exatamente o dia no qual ela deveria aceitar o macho sem a utilização de outros métodos de diagnóstico a não ser a contagem de dias do início do cio, na qual ela está entre o 9º e 13° dia ou então ela parou de sangrar e, portanto, deveria aceitar o macho. E por que não aceita?

 Em muitos casos, as pessoas se enganam achando que somente haverá aceitação se ela estiver realmente no cio. Existem vários fatores que podem ir ao contrário desta afirmação e vamos elucidá-los a seguir:

Raras cadelas podem aceitar a monta em períodos fora do cio. É uma situação excepcional, mas que existe.

 Pode ser que a cadela não esteja no momento ideal de aceitação. Existem cadelas (ao redor de 10%) que aceitam antes do 9° dia do cio, outras (40%) entre o 10° e 13 ° dia e a partir do13° (40%). Portanto levar a fêmea entre o 9° e o 13° dia tem 40% de acerto e 60 % de erro.

  Muitos proprietários esperam terminar o sangramento (presença de secreção sero-sanguinolenta vaginal), pois acreditam que neste momento ela estará fértil. Ledo engano!  Existem cadelas que tem cio silencioso, portanto não sangram e outras que sangram até poucos dias passado o cio. 

 Existe uma preferência ou não de certas cadelas por certos machos, e o contrário também é verdadeiro. Nestes casos ou ela não aceita  determinado macho ou ele não irá demonstrar interesse, mesmo ela estando pronta para ser acasalada. 

Cadelas ou machos submetidos a condições de estresse podem recusar o acasalamento.

Em vista de todos estes fatores, o ideal é que o cio da fêmea seja acompanhado com citologia vaginal e dosagem hormonal (progesterona), para se diagnosticar se ela realmente deveria ou não aceitar o macho, uma vez que está em momento ideal para isso. 

Caso ela esteja pronta, e não aceito o macho, tem-se duas opções: a troca do macho ou a utilização da inseminação artificial.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


A fêmea precisa estar em cio, momento este diagnosticado com auxílio de observação de sinais e sintomas, vaginoscopia, ultrasonografia dos ovários, citologia vaginal e dosagens hormonais.

O sêmen do macho é colhido manualmente, analisado e imediatamente introduzido na fêmea.


A imagem acima demosntra a colheita do sêmen.


A imagem acima demonstra o procedimento da inseminação em si. Após a introdução do sêmen a fêmea deve permanecer por 15 minutos com os posteriores elevados.


A figura acima demonstra o local que é depositado o sêmen quando é realizada inseminação artifical intravaginal com sêmen puro ou resfriado. O sêmen é injetado na vagina anterior.

As chances de sucesso (prenhez positiva) atingem 90%

Na imagem abaixo estão filhotes de boston terrier nascidos com a utilização de inseminação artificial.